XXX – ENCONTRO DE ANTIGOS ALUNOS DA ESCOLA APOSTÓLICA DE CRISTO REI DE GOUVEIA

XXX – ENCONTRO DE ANTIGOS ALUNOS DA ESCOLA APOSTÓLICA DE CRISTO REI DE GOUVEIA

No último sábado de Junho de cada ano, os Ex-Alunos da Escola Apostólica de Cristo Rei, de Gouveia, têm o seu encontro, pois “ memória é o prelúdio da imortalidade”, nas palavras de José Damas, ex-aluno, no seu livro de poesia “ Quando os olhos se fecham”. Este ano teve a particularidade de se alongar até domingo, estendendo-se para Aldeia de S. Sebastião (Vilar Formoso).

Nos últimos anos os mais jovens têm aparecido com mais frequência, e este ano bateram o recorde: as presenças ultrapassaram as duas centenas.
O tema do encontro é bem sugestivo: “ espírito de festa, alegria, descontração, celebração e gratidão.”

Durante os trabalhos da Assembleia Geral, lida a ata, feita a apresentação das contas e o balanço das atividades, o Padre Jacob, atual responsável pela Instituição, (Escola Apostólica de Cristo Rei), deu a conhecer as suas preocupações: não é fácil coordenar e dirigir esta casa com os seus diversos setores; área formativa, social, agrícola, pastoral e outras com tão poucos recursos humanos e financeiros.

Um dos desafios mediatos é a reestruturação dos espaços das antigas camaratas, com vista a uma melhor oferta de qualidade, na receção a grupos de jovens e seniores e suas famílias, que aqui se deslocam com finalidades turísticas, de lazer, de espiritualidade, de reflexão
A funcionalidade desta Instituição deve-se aos missionários de S. João Batista, às Irmãs que são a sua vida e alma e ao apoio de amigos benfeitores, onde se incluem muitos ex-alunos.

O padre Wilson, moçambicano, missionário de S. João Batista, que passou alguns anos da sua formação em Gouveia e Lisboa, e que é responsável pela missão de Marrere da Diocese de Nampula, destacou o trabalho já realizado e a realizar – evangelização, educação, luta contra a pobreza, saúde. Tem contado com a colaboração de alguns voluntários. Há novos projetos, que aguardam apoios efetivos e está em fase de arranque o Centro Infantil de S. João Batista, que acolhe crianças com dificuldades familiares e económicas.

Na celebração eucarística presidida pelo Padre José Cristino, o Padre Wilson, numas breves palavras, salientou o reconhecimento à Escola Apostólica, e deu o obrigado a todos por partilharem aqui fé, a mesma história, alegrias e tristezas, nesta casa que nos viu crescer. Somos convidados a anunciar o Evangelho, ser evangelizador é denunciar a injustiça, a mentira, o crime, nos desertos da nossa sociedade.

Recordados todos os que já partiram, a ação de graças foi a oração pela terra da Encíclica Laudato si, do Papa Francisco, que termina com o apelo “ sustentai-nos, por favor, na nossa luta pela justiça, o amor e a paz.”

Á porta do refeitório, o descerramento de uma placa de homenagem às Irmãs de S. João Batista com a seguinte inscrição: “pela doação total…com afeto, ternura, trabalho, oração…na construção de tantas vidas, a nossa perene GRATIDÃO”.

O Presidente da Associação dos Antigos Alunos António Machado, proferiu as seguintes palavras: “ como é do conhecimento de todos, o Papa Francisco convocou a Igreja para celebrar, durante o ano 2015, a história e a vida dos membros dos institutos religiosos e seculares ao longo da história e para olhar com esperança o futuro deste estilo de vida, marcado pela dimensão comunitária e pelas notas de pobreza, castidade e obediência. Nesta linha, nós Antigos Alunos da escola Apostólica de Cristo Rei, decidimos no dia do nosso trigésimo encontro, homenagear todas as Irmãs das Missionárias de S. João Batista e Maria Rainha, que trabalham ou trabalharam na cozinha, na quinta, na enfermaria, na rouparia, no ensino ou em outras atividades do Seminário.

A todas as Irmãs, o nosso reconhecimento, a nossa gratidão pelo trabalho, pela palavra, pelo afeto, pelo sorriso, pela oração, pela crítica, pelo castigo, pela amizade. Com todas as que estão aqui, com as que não puderam vir, e as que já gozam das alegrias eternas, dizemos com muita alegria: cantarei eternamente as misericórdias do Senhor e para sempre louvarei o seu nome Santo. Às presentes, Irmã Salete, Zita, Rosa, Emília, Isaura (Serafina), Anunciação (Augusta), Cecília, Luzia, Felisbela, Laura e Conceição, a quem foi entregue uma rosa, símbolo do nosso agradecimento.

Não puderam estar presentes, Irmã Maria das Dores, Ascensão, Digna, Maria Céu Inês, Maria de Lurdes, Carlota, Matilde, Custódia e Teresinha.
Recordaram-se as que já faleceram – Irmã Mónica, Maria dos Anjos, Maria, Isabel Maria China, Clemencia, Bernardo, Maria de Fátima e Madre Norberta.
A seguir ao reconfortante almoço, no refeitório da Escola, onde muitos se lembravam de que naquele local eram lidas as mais importantes notícias nacionais, internacionais e desportivas, tipo telejornal, os mais audazes ainda se aventuraram a um jogo de futebol, terminando com um retemperador banho na piscina, onde muitos ex-alunos aprenderam a nadar.

Outros descobriam em cada esquina uma recordação, em cada lugar uma saudade, em espaço sagrado uma oração e procissão, visitas ao Lar da Misericórdia e ao Parque da Ribeira de Gouveia.

Cheirou a sardinha, carne assada e a golos da seleção sub-21 portuguesa contra a Alemanha, país daqueles que fundaram esta Casa em Gouveia.
O dia seguinte ficará na memória de todos, graças à colaboração dos ex-alunos, António Fernandes, Joaquim Fernandes, José Dias, David Fernandes e Pedro Araújo e outros, grandes obreiros da Associação Cultural Social de Aldeia de S. Sebastião, uma visita cultural e histórica à Vila de Almeida e Aldeia de Freineda, (onde esteve instalado o Quartel General das tropas anglo-lusas), no período das Invasões Francesas, um almoço-convívio nas instalações da Associação e uma garraiada em Aldeia de S. Sebastião.

Esteve sempre bem patente o clima de hospitalidade, camaradagem e proximidade entre todos os Ex-Alunos da Escola Apostólica de Cristo Rei de Gouveia, neste Encontro de Intergerações, dos anos cinquenta, sessenta, setenta, oitenta e noventa.
Parabéns a todos e alma até Almeida…alma para o próximo ano.

António Alves Fernandes
Aldeia de Joanes
Junho/2015

Comentários

Comentários