ALDEIA DE JOANES – FESTA DE NATAL DO AGRUPAMENTO ESCUTISTA Nº 1335

Dia 15 de Dezembro teve lugar em Aldeia de Joanes, a Festa de Natal do Agrupamento 1335 do Corpo Nacional de Escutas.

Ainda era manhã e já alguns dirigentes, familiares dos filhos escuteiros e estes, andavam atarefados com a organização deste evento anual, numa mobilização de vinte pessoas. Nada cai em cima da mesa se não for feita pela mão humana.

Chegada a hora do almoço era necessário os trabalhadores tomarem a refeição, um arroz com couves, à moda das gentes de Aldeia de Joanes, receita muito antiga, mas no segredo dos deuses, acompanhado com entrecosto assado na brasa, uma ementa celestial, feita com a dedicação de mães dedicadas à causa escutista.

O Dirigente Francisco Lambelho solicitou a todos uma oração de ação de graças. Imediatamente todos se colocaram em silêncio. Não foram esquecidas as pessoas que produziram os alimentos, que os cultivaram, as que os confecionaram, que estão em cima da mesa. Salientou que o silêncio que se registou já era uma oração. Aqui lembrei-me do Livro “ Nenhum Caminho Será Longo “, do Padre José Tolentino Mendonça, que é uma espécie de “ Leal Conselheiro”, que coloca a amizade no centro da terra árida, que é o nosso tempo e que nos fala no valor do silêncio entre outros valores.

Há noite, na Igreja Matriz de Aldeia de Joanes, vestida com um ambiente natalício, dava-se lugar à Ceia Eucarística, retemperar as forças da Fé. Presidida pelo Pároco, Assistente de Agrupamento e com a presença de Chefe Regional, dezenas de Escuteiro, seus familiares e amigos, deu-se inicio, com o Grupo Coral do Agrupamento a entoar os cânticos religiosos.

Nas palavras proferidas pelo Assistente Religioso salientou que o tempo litúrgico é de alegria e esperança. Está a chegar o Salvador e temos de criar disponibilidades para o receber. Baden Powell, diz-nos para estarmos sempre a alerta. O Advento é tempo de mudança, de conversão, estar atento e vigilante. Tempo de a lâmpada estar acesa a indicar-nos o caminho do Natal.

O Escutismo assume e abraça a grande divisa de servir a Deus e ao próximo. Assume as grandes causas disponibilizando tempo de voluntariado, sempre ao serviço de quem mais precisa. A oração do Escuteiro é uma força para servir. Trabalhar sem receber recompensas materiais é sempre gratificante. Servir é amar. Devemos sair do nosso egoísmo e termos atitudes de partilha. Finalizou com as palavras, Sempre Alerta para celebrar o Nascimento de Jesus Cristo, desejando a todos Boas Festas e um Santo Natal.

No Salão da Associação Cultural e Recreativa de Aldeia de Joanes, foi servida uma Ceia Escutista de Natal, para cerca de duzentas pessoas, escuteiros, familiares e amigos convidados, entre eles o Chefe Regional e Representante da Junta de Freguesia.

Mais uma vez, os dotes culinários das gentes de Aldeia de Joanes, veio ao de cima, salientando-se que o bacalhau pode ser cozinhado por mil e uma maneira, mas aqui a ementa foi de mil e duas, “ Bacalhau à Moda do Agrupamento 1335 de Aldeia de Joanes “. Estava tão bom, que muitos comensais queriam saber como se fez, mas é sigilo profissional das Mães Cozinheiras dos Escuteiros, que estão de parabéns.

O Chefe Regional dirigiu palavras de estímulo e de satisfação a todos aqueles que servem o Escutismo em Aldeia de Joanes.

Em mais de uma hora decorreu o Fogo de Conselho, realizado pelos jovens escuteiros, onde não faltaram atividades musicais, teatrais e de concursos, sendo muitos aplaudidos pela criatividade demonstrada.

Já era meia-noite, quando abandonámos as instalações e à saída dois jovens escuteiros, distribuíam um cartão de Boas Festas, emitido pelo Agrupamento 1335 de Aldeia de Joanes.

Os dirigentes e alguns familiares ainda ficaram a arrumar a casa, cansados mas felizes por esta jornada de fraternidade escutista. Até ao próximo Natal- 2013.

António Alves Fernandes

Aldeia de Joanes – NATAL – 2012

Comentários

Comentários