O Agrupamento 1335 do CNE de Aldeia de Joanes continua a dar passos, no crescimento, na valorização do seu património estrutural e de um quadro de dirigentes.

Sem jovens não há escutismo em qualquer parte do mundo, mas os seus pilares, os alicerces são os dirigentes. Não é fácil assumir o compromisso de dirigentes, pelas exigências e responsabilidades que aquele cargo exige.

No último domingo de Março, na Igreja Matriz de Aldeia de Joanes, na Eucaristia dos Pioneiros realizou-se a cerimónia de posse de dois novos dirigentes. Na final de uma longa caminhada de formação, Maria do Carmo Teodoro Mateus e José Carlos Cunha Moreira, fizeram o seu compromisso de dirigentes, na presença do Chefe Regional da Guarda, António Duarte Bento, do Chefe Adjunto José Sebastião, do Chefe do Agrupamento Nuno Rocha e do Assistente Padre Casimiro Mendes Serra.

O texto lido pela Escuteira Inês Cardoso Lindeza, da autoria da sua companheira Mafalda Maria Mateus Moreira, é digno de uma referência muito especial e de grande significado. Assim, o transcrevo na íntegra, com a devida vénia: “ ser dirigente nos dias de hoje, é um ato de coragem. Ser-se Chefe de Escuteiros, não pela carga que esta chefia transmite, mas sim, pelos desafios que nos impõe o simples fato de tentar lutar contra a maré.

Talvez este desafio, seja o mais duro de sempre. Mas um desafio não espera. Aceita-se e acredita-se nele, custe o que custar… É preciso não ter medo de cometer erros. Afinal de contas, quantas coisas perdemos, por termos medo de as perder? É por isso que a vida vale a pena, pelos riscos que corremos e pelos resultados bons ou maus que conseguimos. Nós nunca falhamos quando tentamos fazer o nosso dever, apenas falhamos quando deixamos de o fazer.

O Escutismo é mais que uma atividade ao ar livre, ou um modo de passar o tempo. Torna-se um estilo de vida, ou até mesmo a nossa própria vida.

São os Dirigentes, e pelo seu exemplo, o bastão da caminhada dos jovens escuteiros, no sentido de se tornarem eles próprios, numa imagem do Homem Novo e tal como disse Baden Powell, “não existe ensino que se compare ao exemplo”.

Parabéns aos novos Dirigentes do Agrupamento 1335 de Aldeia de Joanes, que continuem o bom trabalho que tem feito até agora.”

 Alguém desabafa, valem mais estas palavras escritas por uma jovem pioneira do Agrupamento 1335 do CNE de Aldeia de Joanes, que muitos sermões sem nexo ou balofos.

Na primeira leitura do Livro de Samuel, feita pelo Pioneiro Filipe Domingues, afirma “ certamente é este o ungido do Senhor”. Também os Escuteiro são ungidos por Deus para a realização da sua missão.

Na segunda leitura a Carta de S. Paulo aos Efésios, feita pela Pioneira Barbara, apela para que, “ vivei como filhos da luz, porque o fruto da luz é a bondade, a justiça, e a verdade.” São estes os gestos humanos, que cada situação exige, a quem enverga uma farda escutista. Esta luz que indica o caminho da dignidade humana e da liberdade.

A chefe empossada, Maria do Carmo Teodoro Mateus, cantou uma ação de graças, por tudo o que de bom, Deus oferece à Humanidade, as plantas, as águas, os animais, as montanhas, a beleza do céu, da terra e dos mares.

Á saída da Igreja Matriz, procedeu-se à velha praxe escutista, com os novos Chefes, a levou nas costas, com os lenços de todos os elementos escutistas do Agrupamento.

O Agrupamento 1335 do CNE de Aldeia de Joanes, estará novamente em festa no próximo dia 7 de Junho, para inaugurar as novas instalações e comemorar o seu aniversário, uma vez que no dia 31 de Maio, não ser possíveis aqueles eventos, por coincidência ocorrer no Paul – Covilhã, o Encontro Regional do Lobito, onde participam.

António Alves Fernandes

Aldeia de Joanes

Março/2014

Comentários

Comentários