A árvore da montanha tem uma raiz.
Tu e Eu são membros da família humana. Quando começas a sentir dentro de ti o “bichinho escuta”, podes considerar que este cresce ao alimentar-se com o “sempre assim se vez” ou então “ eu sou iluminado ”. Alimentos estes de qualidade inferiores a todo o fruto do feijoeiro. O “sempre assim se fez” esquece que os dinossauros não existem porque não evoluíram. Quanto ao segundo, lembra-te da noite de terça-feira, conseguis-te ver uma estrela a brilhar só e não para todos?
Constitui a RAP oportunidade bela para nos cultivarmos no tema: a relação dos dirigentes com os escuteiros e vice-versa. Acredito contudo que muitos já observaram solícita e profundamente o novo manual do Dirigente do CNE. (cerca de 200 folhas). O escutismo tem de sorrir quando se fala de voltar às fontes. A relação dos adultos com as crianças, adolescentes e jovens ou vice-versa tem de se basear no amor, elevar na proximidade e espiar em Deus. Este acampamento foi grande com bons dirigentes. A leitura e a prática correcta da RAP, do manual em cima referido e dos fenómenos de rara existência permitem pensar a quem pensa: Será sensato que o dirigente permita ao escuteiro saltar do avião sem pára-quedas, ou deve dar a naifa ao escuteiro e andar às “barrigadas” à naifa? Ou ainda saltar ao poço com o escuteiro. Haja bom senso! Penso que a exigência tem de se basear numa boa vivência do Jogo e na correcção fraterna, no respeito e igualdade daquele que é Filho de Deus e por isso meu Irmão (apesar de cada um ir dormir ao seu saco).
O escuta protege as plantas e os animais” (art. 6 da Lei), a árvore da montanha existe e orgulha-se da sua raiz e por isso não procura outra nem dar frutos que não são os seus. Cuidar desta árvore é um dever meu e teu.
O acampamento não termina, o “anuncia” do lema desta cidade de lona, pode ser crescer na relação com o outro com a simplicidade das pombas e a prudência das serpentes.

Seja Deus o teu único Norte.
Aquela Canhota:
Lobo Audaz
www.padrehugo.com

in: O Nosso Abrigo nº 3 I Jornal de Campo do XIX AcaReg da Guarda do CNE

Comentários

Comentários