Aconteceu o momento mais importante para os Escuteiros do Agrupamento 1335 de Aldeia de Joanes, com a inauguração da sua Sede em 7 de Junho. A festejar o quinto aniversário, não podiam receber melhor prenda, libertando-se de umas instalações sem condições. Esta sede dispõe de espaço para todas as suas atividades.
O primeiro momento deste evento foi a bênção das instalações pelo Assistente do Agrupamento, Padre Casimiro Mendes Serra, que aproveitando a leitura de S. Paulo aos Coríntios, referiu que quem semeia pouco, colherá pouco, mas quem semeia muito, colherá com abundância. Estas palavras têm um significado profundo na vida de cada cristão, mas são bem apropriadas ao movimento escutista. Felizmente a maioria dos elementos escutistas e seus familiares, tem dado muitas horas de voluntariado a esta nobre causa, pelo que semeando muito, muitos frutos irão colher.
Seguiu-se uma visita guiada às Instalações pela Chefia do Agrupamento, mostrando o espaço às pessoas e individualidades presentes.
A sessão de discursos contou com as palavras do Chefe Nuno Rocha, que emocionado destacou a “hora grande” para os escuteiros, salientando o esforço da Câmara Municipal do Fundão para este espaço ser uma realidade. Importa recordar as muitas horas de trabalho, espírito de sacrifício e amor à causa escutista da parte de todos – chefia, escuteiros e familiares -, agentes sempre operacionais e acolhedores.
O Chefe Regional António Bento Duarte, ao olhar para os jovens escuteiros, detectou uma grande satisfação, derivada do esforço, do trabalho e do sacrifício para erigir esta sede. “Mas os valores escutistas, não passam só por dispor destas instalações. Esses valores assentam em três vertentes: humana, social e cristã.” Desejou que a nova sede seja “uma grande escola de vida, tendo como meta os mais universais valores humanos e a grande aventura dos sentimentos”. “Que seja sempre um lugar educativo, onde o escutismo possa preparar jovens para um lugar na sociedade. Orgulhai-vos da vossa sede, dinamizai-a, frutificai-a e tratai-a com amor”.
Um dinamizador do Escutismo em Aldeia de Joanes, salientou a vivência de alguns sonhos. Depois de tantas adversidades, desbravadas pelo Bispo da Diocese e pelo Chefe Regional, ali presente, nasceu o Agrupamento 1335 do CNE de Aldeia de Joanes, com a Chefia de Luís Fernando dos Santos Pereira, o Adjunto Nuno Rocha e as dirigentes Regina Barata Pereira e Carla Rocha, com o assistente Francisco da Cruz Lambelho, um diácono dinâmico e com larga experiência de trabalho junto da juventude. O Escutismo quando entra no coração das pessoas, cria raízes e assim aconteceu com os jovens em Aldeia de Joanes.
Muitos jovens que passaram por este Agrupamento, e, por diversos motivos tiveram de sair, afirmaram “ ter tido muito orgulho em vestir a farda de escuteiro, e agradeceram as horas felizes de aprendizagem, numa escola democrática.”
Devem também sonhar para que no futuro disponham de uma sede, da qual sejam donos, como acontece em muitos agrupamentos espalhados pelo país, contando também com o poder local.
O Representante da União das Freguesias, António de Sousa Carvalho, referiu que a Junta de Freguesia de Aldeia de Joanes nunca poupou esforços para “a realidade que estamos aqui a viver, e estará sempre disponível para colaborar, porque é uma riqueza para a nossa Terra, a existência do Agrupamento de Escuteiros”.
Encerrou a sessão o Presidente da Câmara Municipal do Fundão, Paulo Fernandes, que se regozijou com a inauguração de uma Sede de Escuteiros inserida nesta Comunidade, nesta Aldeia, que muito irá beneficiar com estas instalações em óptimas condições. “O Agrupamento beneficia de um território muito propício e de uma povoação com grande património humano e ambiental, focada na Serra da Gardunha”. Salientou que “muito mais importante do que destapar placas de inauguração, é olhar para o edifício humano constituído por vós jovens escuteiros, que aqui ireis aprender a partilhar amizades, vivências, valores sociais e humanos, que irão ficar para sempre na vossa memória. Aqui também formareis equipas, pois ninguém tem atividades isoladas, e prestareis diversos serviços à sociedade e à nossa comunidade, defendendo os valores da natureza e da ecologia”.
É partilhando o caminho que se faz de um escuteiro, um irmão, e citando Miguel Torga, “ o tempo trabalha a favor do futuro e o futuro são os jovens”. Deseja-se que Os Escuteiros de Aldeia de Joanes consigam ir para além do sonho.

António Alves Fernandes
Aldeia de Joanes
7 Junho/2014

33603_164013883625708_2746569_n

Comentários

Comentários