… nos agrupamentos e unidades
“O Escutismo praticado deverá ser concreto e pragmático, sem complicações inúteis, baseado na aprendizagem de competências, de atitudes e de gestos fundamentais e indispensáveis para enfrentar a vida…”

O Escutismo vê-se na prática, pois só temos bom escutismo se tivermos actividades de qualidade.
Estamos no domínio do Saber e do Saber Ser.
O Escutismo é um verdadeiro Saber Fazer que se aprende nas actividades quotidianas.
A qualidade das actividades, a inovação, e a criatividade constituem os pontos fortes de melhoramento da vida nas unidades.
Por isso, o escutismo praticado deverá ser concreto e pragmático, sem complicações inúteis, baseado na aprendizagem de competências, de atitudes e de gestos fundamentais e indispensáveis para enfrentar a vida.
Ser artesão da paz, solidário, é o que se descobre e se aprende ao longo dos dias/anos e não somente em acções de carácter pontual.
O Escutismo permite ao jovem adquirir as competências pessoais na descoberta do sentido da vida, tendo como suporte actividades escutista coerentes com as opções do Movimento.
A aquisição de gestos fundamentais da vida de campo, constitui um factor essencial para o jovem.
Neste ano escutista iremos todos (Agrupamentos) aplicar a nova metodologia escutista.
É importante que verifiquemos, nas nossas unidades/ Agrupamentos se estamos no caminho certo, ou se necessitamos de aprofundar mais os nossos conhecimentos, com novas acções sobre a metodologia escutista.
Verifiquemos, sobretudo, se a prática do escutismo que não mudou na sua essência, ou se houve adaptação na forma de o praticar às necessidades dos dias de hoje.
Só assim, caros amigos chefes e assistentes, a melhoria do escutismo nos Agrupamentos/ Unidades pode ser uma realidade, para isso é necessário praticar – Saber Fazer.

Por: António Bento Duarte

Comentários

Comentários