Padre Hugo: Alocução em tomada de posse da Junta Regional da Guarda do CNE 2018-2021

 

Sua excelência reverendíssima, d. Manuel (terceiro) da Rocha Felício, sexagésimo quarto bispo da Guarda, aqui ausente,

Reverendo padre, Fernando Brito,

Digníssimo chefe nacional do CNE, Ivo Faria,

Digníssimo presidente do Conselho Fiscal e Jurisdicional Nacional do CNE, António Cerqueira,

Digníssima chefe regional da Guarda do CNE, Sandra Duarte,

Excelentíssimo senhor presidente da Câmara Municipal da Covilhã, Victor Pereira,

Digníssimo presidente da Mesa do Conselho Regional da Guarda do CNE, António Machado,

Digníssimo presidente do Conselho Fiscal e Jurisdicional Regional da Guarda do CNE, José Cerdeira,

Demais autoridades,

Senhoras e senhores,

Lobitos,

Exploradores,

Pioneiros,

e  caminheiros,

 

         Caríssima chefe regional, sendo este um dia grande e belo para Escutismo Católico Português, designadamente para esta Região da Guarda, estou certo que tens presente, aquilo que deve ser a cooperação e a amizade, entre o chefe e o assistente “duas cabeças a pensar debaixo do mesmo chapéu”. Ao longo dos teus 13 520 dias e dos meus 7 917 dias de promessa escutista (podem dar informação ao SIE), pude testemunhar com evidência e abundância, e em vários níveis, a tua capacidade de liderança, manifestada na humildade e sabedoria, com que assumiste os serviços que te foram pedidos, e no à-vontade com que distribuías tarefas. No último ACANAC, houve um escuteiro judeu, que afirmou a teu respeito: “This boss puts everyone working” ou seja “Esta chefe põe todos a trabalhar”. Também, ao nível regional da Animação da Fé, te é pedido a ti e ao assistente, que seja criada uma equipa que efectivamente trabalhe, para que a pedagogia escutista seja iluminada pelo Evangelho.

         Escolheste como lema da vossa candidatura “Back to the future – viemos para servir, e símbolo para esta celebração a Oliveira. Na Grécia foram criados os Jogos Olímpicos, os vencedores recebiam coroas de ramos de oliveira, e não medalhas, como conta a lenda “estes homens não competem pela posse mas pela honra”, honra que se manifesta na forma, como os atletas servem os países, pelos quais são enviados. A nossa divisa é “sempre alerta para servir”. Desejo que, todos os membros desta Junta Regional, estejam sempre dispostos a servir com “palavras e exemplos”, “mostrando, ensinando, conduzindo” os lobitos, os exploradores, os pioneiros, os caminheiros, e os dirigentes que lhe estão confiados.

         Amigos, conheceis bem o “Livro da Selva” e por isso sabeis que a pista da unidade vivida por todos os lobos é fundamental, para a caçada de alimento, para a evolução da alcateia, ou mesmo para a sobrevivência da espécie. Estamos numa região, em que existem diversas formas de pensar o escutismo, e de ser dirigente. Aquilo que é que uma riqueza, não podemos ignorar que também nos divide. Assim a primeira missão de todos nós, é fomentar e salientar aquilo que nos une, usando de correcção fraterna, (sempre que necessário) para chegarmos mais e melhor ao coração da Igreja e da sociedade, que necessitam do escutismo.            

         A coroa de oliveira, e a luz que esta região vai acolher e partilhar, para todo o Portugal, em 17 de dezembro, são símbolos da paz. Como é bom e belo que no encontro com as pessoas, na partilha de olhares, no entrelaçar das mãos e da vida, ousais ser sempre sinal de paz, isto é; de Jesus Cristo que continua a acampar e abençoar esta região da Guarda, do Corpo Nacional de Escutas, Escutismo Católico Português.

 

São Nuno, rogai por nós.

São Jorge, rogai por nós.

Maria, Mãe dos escutas, rogai por nós.

 

Sempre Alerta para Servir,

Lobo Audaz

Comentários

Comentários