Santa Maria, Mãe de Deus

Assim abençoareis os filhos de Israel, dizendo: ‘O Senhor te abençoe e te proteja. (cf. Num 6,22-27)

 

Deus sonhou-nos na eternidade,
dum beijo nascemos quando o tempo deu à luz,
Sua mão nos protege, Sua palavra nos conduz,
Seu Filho, nascido de Maria, nos recria e salva,
Seu Espírito nos inspira a paz e a filiação divina.
Somos filhos da bênção dum Coração-Nascente
e só nesta Fonte de Vida que jorra eternamente
encontramos o pão da paz e da felicidade fraterna.
 
O tempo é uma criação de orientação humana.
Ele não é igual para todos: há fusos horários diferentes,
há o ano escolar, o ano pastoral, o ano litúrgico,
o ano civil, o ano de nascimento, o ano…
Há o ano cristão, o ano chinês, o ano judaico,
o ano muçulmano, ano juliano…
Não adianta champanhe, passas de uva, bons desejos,
fogo de artifício, cores de roupas ou outros ritos de passagem,
se o nosso olhar não se cruzar o olhar de Deus
e a Sua bênção não nos fizer virar a página da mediocridade.
 
Senhor Jesus, que inauguraste o Oitavo Dia da ressurreição,
ajuda-nos a entrar de joelhos confiantes
no tempo novo da paz, onde se respira eternidade.
Maria, Mãe do Filho de Deus e nossa Mãe,
ensina-nos o caminho da fraternidade
que perfuma a Terra com o aroma do Cordeiro
e alimenta as relações com o Pão da reconciliação.
Faz-nos renascer de novo cada aurora do novo dia,
como carta acolhedora gravada pelo dedo do Espírito,
em gramática solidária e louvor perfeito ao Criador.
Pe. José Augusto

Google+

Comentários

Comentários